Bem-vindo! Quarta, 26/07/2017.
Agora na TV 13:30h OS DONOS DA BOLA / 15:00h SUPER BÔNUS / + programas
Busca
Tempo em SC

Economia

COLUNISTAS

Ver todos
28/04/2017

Economia

Comércio da Capital sofre impacto negativo com a Greve Geral

Comércio da Capital sofre impacto negativo com a Greve Geral Imagem: TV Catarina
Por Redação TV Catarina

A greve geral que ocorre nesta sexta-feira (28) em todo Brasil, convocada pelas centrais sindicais, provocou um impacto negativo no comércio da Capital. O transporte coletivo que paralisou à 0h de sexta-feira (28) permanecerá parado até a 0h de sábado (29), impossibilitando o direito de ir e vir da população.

De acordo com Marco dos Santos, diretor de SPC e Serviços da CDL de Florianópolis, caso o transporte coletivo não tivesse aderido à greve, o impacto seria quase zero. “Em um dia com as portas fechadas, os empresários têm prejuízos de até 50% no faturamento. Dependendo do segmento de atuação, esse número aumenta ainda mais”, relata.

Na loja Olho D'Água, os prejuízos foram bem maiores. Segundo estimativa do estabelecimento, o movimento que já anda ruim de modo geral, hoje estimou uma queda aproximada de 80%. “Além da questão transporte, as pessoas também ficam receosas de vir para o centro por medo de atos de violência em manifestações. Sou a favor de um país melhor e também estaria participando das manifestações se pudesse, mas sem violência e vandalismo”, conta Jéssica Ferreira, gerente da loja Olho D'Água.

Para complicar a situação, manifestantes percorreram, durante a manhã desta sexta-feira, as principais ruas do centro da Capital, em ato de apoio à greve geral. Durante o protesto, houve momento de brigas e tensão que fizeram com que os comerciantes se sentissem pressionados para fechar os estabelecimentos e garantir a integridade física dos funcionários e clientes que estavam no local.

Além disso, a paralisação prejudicou aqueles que optaram por trabalhar, impedindo-os de chegarem aos seus locais de trabalho. “No dia de hoje muitas pessoas tiveram dificuldades para chegar ao trabalho. Diante de situações como esta, os empresários tendem a organizar com seus colaboradores alternativas como carona e folga para minimizar os problemas”, explica Santos.

Ainda segundo Santos, a CDL de Florianópolis orientou que os comerciantes analisassem a melhor opção de acordo com o seu negócio. “Vivemos num cenário de incerteza econômica e política. A queda no faturamento das empresas é algo que tem se tornado cada vez mais instável, afetando a economia brasileira”, finaliza o dirigente. 









Últimas Notícias

Economia

Santa Catarina arrecadou 47 bilhões de reais em impostos somente esse ano

Economia

Alta da gasolina impacta na retomada da economia

Economia

Prazo para saque de FGTS acaba em uma semana