Bem-vindo! Terça, 17/10/2017.
Agora na TV 22:30h MASTERCHEF PROFISSIONAIS / / + programas
Busca
Tempo em SC

Geral

COLUNISTAS

Ver todos
02/10/2017

Geral

Temporal com granizo causa estragos e deixa mais de 60 mil unidades consumidoras sem luz em Santa Catarina

Temporal com granizo causa estragos e deixa mais de 60 mil unidades consumidoras sem luz em Santa Catarina Foto: Defesa Civil/Divulgação
Por Secom

O mau tempo causou estragos em Santa Catarina, neste domingo, 1º de outubro. Chuva, granizo e vendaval deixaram danos nos municípios de Chapecó, Dionísio Cerqueira, Concórdia, Itá, Seara, São Lourenço do Oeste, Campos Novos, Faxinal dosGuedes, Jardinópolis, Palmitos e Bom Retiro, conforme dados da Defesa Civil até as 8h desta segunda-feira, 2.

O secretário-adjunto da Defesa Civil, tenente-coronel Fabiano de Souza, disse que o temporal que aconteceu é característico da primavera e que o principal fator da destruição, especialmente na região Oeste, não foi a chuva, mas a precipitação de granizo. "As equipes da Defesa Civil iniciaram os trabalhos ainda no domingo, com levantamentos dos danos e assistência humanitária com a distribuição de lonas. Os serviços continuam nesta segunda. Temos a informação que os municípios mais atingidos foram Chapecó e Dionísio Cerqueira”, afirmou.

Em Chapecó, por volta das 16h30, a chuva de granizo e os fortes ventos atingiram, principalmente, os bairros Grande Efapi, Jardim América, São Cristovão, Santo Antônio, Alvorada, Eldorado, Bela Vista, Saic, Presidente Médici e Centro. Dados preliminares da Defesa Civil mostram que 395 famílias foram atingidas no município, 15 árvores caíram e três empresas foram danificadas. Em Dionísio Cerqueira, ainda está sendo feito o levantamento dos danos.

Em Jardinópolis, o mau tempo danificou 25 residências e um galpão caiu. Em São Lourenço do Oeste, ventos fortes e granizo deixaram estragos na Linha Santana do Bela Vista. Ainda foram verificados estragos em prédios públicos, escolas, igreja, ginásio e outras propriedades.

Ainda no Oeste, em Palmitos, um vendaval atingiu o barracão do parque de máquinas da prefeitura, causando destelhamento parcial. Em Concórdia, uma residência foi parcialmente danificada e, em Itá, houve estragos em uma casa, chiqueirões, aviários e galpões. Na SC-283, em Seara, o trânsito está em meia-pista por causa de um deslizamento de rochas.

Em Campos Novos, cinco residências tiveram danos e, em Faxinal do Guedes, dez casas foram prejudicadas. Em Bom Retiro, um poste quebrou com a força do vento, porém não houve destelhamentos. Outros municípios no estado também registraram chuva, ventos e granizo, porém sem danos.

O tenente-coronel Fabiano de Souza solicitou que a população acompanhe as orientações passadas pela Defesa Civil, como alertas e boletins informativos. Durante a ocorrência de qualquer desastre, a orientação é procurar um local seguro, não transitar em áreas abertas e acionar a Defesa Civil do município.

Radar do Oeste

O secretário-adjunto explica que o radar meteorológico instalado em Chapecó é o pontapé inicial para o processo de monitoramento e alerta, fundamental para antecipar a informação da ocorrência. Porém, é necessária a parceria de toda a comunidade e dos veículos de comunicação para a disseminação das informações. “Além do radar, temos uma série de outras tarefas para aprimorar cada vez mais. Uma delas é a comunicação. A informação que o radar passa e a análise dos meteorologistas precisam chegar até a população. Para isso, pretendemos implantar o serviço de SMS na região até o final do ano, com a liberação da Anatel", disse.

O serviço de SMS é um projeto-piloto de Santa Catarina para envio de alerta via mensagem de celular. Com coordenação da Secretaria de Estado da Defesa Civil, o objetivo é informar a população sobre situações de desastres e emergências. Em um primeiro momento, foram selecionados 20 municípios para participarem do projeto-piloto. "Em Itapiranga, por exemplo, o serviço já está funcionando, e os moradores receberam as informações por meio de mensagens. Estamos buscando para melhorar este sistema. Apesar de tudo, o radar de Chapecó cumpriu com o esperado”, explicou Fabiano de Souza.

Recomendações da Defesa Civil

Tempestades com descargas elétricas (raios), ventos fortes e granizo: Proteja-se em local abrigado, longe de placas, de árvores, de postes de energia e de objetos que podem ser arremessados. Se não encontrar um abrigo, agache-se com os pés unidos, com a cabeça encostada em seu peito ou entre os joelhos e as mãos cobrindo suas orelhas ou apoiadas em seus joelhos. Se estiver na praia, jamais fique na água. Não olhe para o raio. Se estiver em casa ou qualquer outro local abrigado, desligue os aparelhos eletrônicos, não use o telefone e fique longe das janelas. O banheiro em alvenaria é o melhor local durante uma tempestade.

Alagamentos/inundações: Evite o contato com as águas e não dirija em lugares alagados. Evite transitar em pontilhões e pontes submersas e cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.

Deslizamentos de terra: Deve ser observado qualquer movimento de terra ou rochas perto de residências, inclinação de postes e árvores e rachaduras em muros ou paredes. Neste caso, é recomendável que a família saia de casa e acione a Defesa Civil Municipal pelo 199 ou Corpo de Bombeiros pelo 193.

Recomenda-se o permanente acompanhamento dos boletins e informações através dos sites da Defesa Civil e Epagri/Ciram.

Celesc trabalha para recuperar energia no Oeste

Os ventos de aproximadamente 114km/h que atingiram as regiões Oeste, Meio-Oeste e Extremo-Oeste catarinense no domingo causaram destelhamento de centenas de casas e provocaram danos ao sistema elétrico da Celesc. O temporal, associado a descargas atmosféricas e granizo, provocou o desligamento de subestações e o rompimento de cabos. No pico do problema, aproximadamente 60 mil unidades consumidoras ficaram sem luz. As cidades de Dionísio Cerqueira, Campo Erê, São Lourenço, Palmitos, Itapiranga, Xanxerê, Pinhalzinho, Quilombo e Concórdia foram as mais afetadas.

As equipes trabalharam desde a passagem da tempestade para a recuperação do sistema. Até as 10h desta segunda-feira, aproximadamente 50 equipes da Celesc e de empreiteiras estão nas regiões atingidas providenciando os reparos necessários. A previsão é que a maior parte das unidades consumidoras tenha o abastecimento normalizado até o final do dia desta segunda-feira. O término dos trabalhos, se não houver novos eventos, está previsto para o final de terça-feira, 3. Em Chapecó, aproximadamente cinco mil unidades consumidoras estão sem energia. Já em São Miguel do Oeste, são pouco mais de duas mil unidades sem energia.

Contato com a Celesc

O cliente pode enviar um SMS para o número 48196 com a mensagem SEM LUZ + o número da Unidade Consumidora, relatar a falta de energia pelo site ou ligar para o Call Center no telefone 0800 48 0196. 









Últimas Notícias

Geral

Retirada de cabos marca nova fase de trabalhos da Ponte Hercílio Luz

Geral

Nova rota de navios gigantes da Ásia dobra movimentação de contêineres no Porto de Imbituba

Geral

SOL estima movimento de pelo menos 400 mil turistas em SC no feriadão