Bem-vindo! Terça, 17/10/2017.
Agora na TV 09:15h COPA DO MUNDO FIFA SUB 17 / 11:25h JOGO ABERTO / + programas
Busca
Tempo em SC

Saúde

COLUNISTAS

Ver todos
20/07/2017

Saúde

Dive adota estratégia em escolas e intensifica vacinação contra HPV e Meningite C

Dive adota estratégia em escolas e intensifica vacinação contra HPV e Meningite C Foto: Jaqueline Noceti/Secom
Por Secom

A estratégia de intensificação da vacinação contra o HPV e Meningite C em escolas públicas e privadas catarinenses durante o mês de junho apresentou resultados positivos. Realizada nos 264 municípios que aderiram à intensificação, a ação resultou na aplicação de 43.456 doses de vacina no mês passado, sendo 16.453 contra o HPV em meninas de nove a 14 anos, 12.598 contra o HPV em meninos de 12 a 13 anos e 14.495 Meningo C em adolescentes de 12 e 13 anos.

“Os números demonstram a eficiência da estratégia, considerando que a quantidade de doses aplicadas supera em quatro vezes a média mensal que registramos nos postos de saúde”, afirma Eduardo Macário, diretor de Vigilância Epidemiológica (Dive) da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Importante destacar que, daqui a seis meses, os adolescentes que receberam a primeira dose da vacina contra o HPV devem receber uma segunda no posto de saúde.

Aprovada pela Comissão Intergestores Bipartite, a estratégia foi proposta pela Dive com base na baixa cobertura estadual de vacinação contra o HPV, de apenas 26% em 2016. Até o ano passado, apenas as meninas recebiam esta vacina. Em janeiro de 2017, ela passou a ser oferecida também para meninos. Outra mudança no calendário vacinal deste ano foi a ampliação da faixa etária da vacina Meningo C, antes oferecida apenas para crianças, que passou a ser aplicada também em adolescentes de 12 a 13 anos.

“Decidimos, então, incluir a vacina Meningo C na ação, já que atingiria o mesmo público-alvo”, argumenta Eduardo Macário. Apenas 31 municípios catarinenses não aderiram à intensificação no mês de junho, alegando que realizariam em outra época do ano ou que preferiam manter a vacinação apenas nos postos de saúde.

A operacionalização da ação envolveu o envio de comunicação aos pais e responsáveis, que deveriam assinar um termo de autorização e enviar a caderneta de vacinação dos adolescentes, e a montagem de um local específico para aplicação das vacinas, com mesa, cadeiras, pia para higienização dos vacinadores e climatização. 









Últimas Notícias

Saúde

Número de focos de mosquito Aedes aegypti neste ano em SC é 43,6% maior do que em 2016

Saúde

Secretário da Saúde dá posse a servidores da área de enfermagem e anuncia processo seletivo

Saúde

SC fecha campanha de multivacinação com 147 mil doses aplicadas