Bem-vindo! Sexta, 18/08/2017.
Agora na TV 20:25h MIL E UMA NOITES / 21:10h SHOW DA FÉ / + programas
Busca
Tempo em SC

Saúde

COLUNISTAS

Ver todos
08/12/2016

Saúde

Educação reforça campanha contra o Aedes Aegypti

Educação reforça campanha contra o Aedes Aegypti Imagem: Assessoria de imprensa
Por Assessoria de imprensa

Com a chegada das altas temperaturas, a Secretaria Municipal de Educação (SME) voltou a intensificar a prevenção contra o Aedes Aegypti, transmissor do zika vírus, chikungunya e dengue. As ações ocorrem por intermédio do projeto Vigilante Mirim. A ideia é repassar informações necessárias para as crianças e alunos para que todos estejam capacitados para entrar nessa causa de combate ao mosquito.

O projeto ocorre nas escolas e creches do município uma ou duas vezes por semana com encontros de uma hora, quando são tratados diversos temas relativos ao tema da prevenção, com atenção especial as doenças de verão e riscos desta estação.

Recentemente, o projeto ocorreu na Escola José do Valle Pereira, bairro João Paulo. As crianças inclusive criaram uma música, que ficou de ser aperfeiçoada junto ao professor de música.

Nesta quinta-feira (8/12), a partir das 9 horas da manhã, alunos da Escola João Alfredo Rohr estarão no Centro de Controle de Zoonoses, em Itacorubi. Conforme Charles Schnorr, coordenador de Prevenção da SME, a criançada receberá in loco orientações dos profissionais de controle de epidemias da Secretaria Municipal de Saúde para enfrentar o Aedes Aegypti. A garotada irá também circular pelo Cemitério São Francisco de Assis e pelo Jardim Botânico para checar alguns lugares em potencial para procriação do inseto.

O Aedes Aegypti põe ovos em água limpa, mão necessariamente potável, mas obrigatoriamente com pouco material em decomposição. É importante tampar caixas e tonéis de água, desentupir ralos que possam acumular água e jogar fora pneus velhos. Também deve-se evitar deixar garrafas e recipientes que possam acumular água da chuva em área descoberta e virá-los de cabeça para baixo e eliminar pratinhos com água embaixo dos vasos de planta.

Na sexta-feira, pela manhã, haverá uma nova palestra a respeito do ”inimigo comum da população” na escola José do Valle Pereira.

Além do público infantil, a temática da prevenção é tratada na formação de professores durante todo ano. Não são abordadas apenas destas doenças de verão, mas de outros males e ações preventivas e de resposta que podem ser realizadas nas unidades.



Sintomas do zika vírus

Os principais incômodos do zika vírus são febre baixa, coceira e comichão na pele, além de manchas avermelhadas e inchaço nas articulações. Se você estiver com esses sintomas, procure rapidamente o serviço de saúde mais próximo, para receber orientações médicas.

Sintomas da dengue

O Aedes aegypti também pode transmitir outras doenças, como a dengue, que pode causar fortes dores de cabeça, febre alta com início súbito, dores fortes atrás dos olhos, perda do apetite, fadiga, dor nos ossos, manchas na pele, náusea, vômitos e tonturas.

Sintomas da chikungunya

A febre chikungunya é outra enfermidade causada pelo mesmo agente transmissor, ela possui sintomas semelhantes aos da dengue. A maior diferença é que as dores concentram-se principalmente nas articulações.

Tratamento do zika vírus

Não há vacina contra o vírus. O tratamento é recomendado com base no uso de acetaminofeno (paracetamol) ou dipirona para o controle da febre e da dor. Não é indicado o uso de ácido acetilsalicílico, AAS, e outros anti-inflamatórios, devido ao risco de aumentar as complicações da doença.

Tratamento da dengue

Não há um tratamento específico, apenas ações que possam aliviar os sintomas. O importante é procurar o serviço de saúde, fazer repouso e ingerir muito líquido. É contraindicado tomar medicamentos sem prescrição médica.

Tratamento chikungunya

Não há tratamento ou vacina específica para a doença. A febre e as dores articulares são tratadas com paracetamol e anti-inflamatórios. É recomendado o repouso absoluto, beber bastante água e não utilizar o ácido salicílico, AAS, devido ao risco de hemorragia.

Para acabar com os focos do mosquito fique de olho nessas dicas:

• Remova folhas, galhos e tudo que possa impedir a água de correr pelas calhas.

• Receba bem o agente da saúde e o agente de combate às endemias (doenças que ocorrem apenas em um determinado local ou região, não atingindo nem se espalhando para outras comunidades)

• Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira bem fechada. Não jogue lixo em terrenos baldios.

• Encha de areia, até a borda, os pratinhos dos vasos de planta.

• Entregue seus pneus velhos ao serviço de limpeza urbana ou guarde-os sem água, em local coberto e abrigados da chuva.

• Mantenha a caixa d’água sempre fechada com tampa adequada.

• Guarde garrafas sempre de cabeça para baixo.
 









Últimas Notícias

Saúde

Saúde assina convênio de R$ 21,6 milhões com Hospital Regional de Chapecó

Saúde

Números preocupantes em Santa Catarina, em apenas 15 dias, 121 novos focos do mosquito Aedes aegypti foram identificados no estado

Saúde

Centro Integrado de Saúde é inaugurado em Itajaí