Bem-vindo! Domingo, 24/09/2017.
Agora na TV 12:30h SHOW DO MEI / 13:00h PORSCHE CUP / + programas
Busca
Tempo em SC

Sábado, 16.11.2013 O clássico conjugal II

No domingo com gosto de lágrimas Cilene decidiu dormir no apartamento da mãe. De jeito nenhum voltaria pra casa naquele fatídico e fúnebre momento. Viu a derrota humilhante do time da Costeira num salão de festas decorado de azul e branco; Beto, o marido rival, reuniu-se com amigos num bar de alvinegros inveterados. Como encarar o marido? Ela que na outra crônica havia exaltado a garra do Leão, já convicta de que time de Marquinhos carimbaria o passaporte para a elite do futebol brasileiro.

- Aqueles jogadores, mãe, não conseguiam correr e pensar ao mesmo tempo. Que ódio!

Nisso o celular toca, é ele, o nefasto marido das bandas do Scarpelli.

- Oi, segundona! Por acaso você viu o Avaí jogar? Ninguém viu, só deu nóis. Ah! Ah! Ah!...
- Seu porco chuveirista! (Aqui cabe uma intervenção do teclad: se é chuveirista é porque toma banho; se toma banho não é porco.)
- Como, princesa?
- Seu porco... chau-vinista!
- Como? Aqui no Estreito ninguém fala difícil, ô essa aí! (Celina desliga, na cara)
- Obrigada, mamãe, pela ajuda. Tenho que ler mais.

Domingo, bem tarde da noite, Celina muda de ideia e volta pra casa. Ele, ou o que sobrou dele depois da farra, dorme o sono dos inocentes bêbados.

- Roberto Gonçalves Aranha!
- Hã? Que? Quem é?
- É a segundona. Agora me diz: quem é a primeira, seu verme!
- Primeira? Que primeira? Ah!, a Primeira Divisão? A Chapecoense, com certeza, e...
- Não me venha com desculpas. Aqui não é a Casa da Mãe Joana nem do Pai Joaquim.

O que ele entendeu é que a mulher usava de artifícios para não entrar no assunto Avaí Futebol Clube. Para o bem da humanidade daquela casa ele preferiu não entrar em conflito, deixar tudo como se nada tivesse acontecido. Ela também se acalmou, aparentemente...

Na segunda à noite, quando ele voltou de uma visitinha ao boteco, Celina fingia estar dormindo no sofá.

- Uhh!, Figueirense! Uhhh!, Figueirense! Acordei alguém de outras cores?

“Acordou”. Celina decidiu antecipar a decisão:

- Roberto, me escuta bem! De agora em diante, até o final do campeonato, você vai assistir aos jogos comigo, lá na Ressacada.
- O que? Tá maluca?
- E eu vou com você nos jogos do Scarpelli, assim cada um cede um pouco. Ou isso ou tchau para sempre.

Silêncio... Pausa reflexiva. O casamento em jogo.

- Tá bom, Celina, tudo bem. Mas lá na Costeira eu fico na torcida dos visitantes...





Postado por Jaime Ambrósio às 09:25 | Marcadores: Scarpelli   Costeira   Chuveirista  

Sexta-feira, 01.11.2013 O clássico conjugal

Chegou em casa e “percebeu” que a mulher havia cortado o cabelo.

- Humm! Milagre!

Depois mordiscou sua orelha (a orelha dela, óbvio) como há muito tempo não fazia....

- Roberto Gonçalves Aranha!... Você tem outra!
- Como?
- Só pode. Todo homem que trai a mulher sente um certo remorso, começa alisar a esposa como no início do relacionamento. É a prova do crime. Ai!, vocês não prestam mesmo! Abaixo vocês!
- Pára de ver novela, Cilene!
- ... Ou então você quer alguma coisa (AGORA?).
- Vou tomar um banho. Ah, o pessoal me convidou pra ver o jogo do Figueira lá num bar, só que fica um pouco longe.
- Então é isso! Santa ingenuidade a minha! Posso ir junto, “gavião”?
- Pode, claro (NÃO PODE!).
- Você sabe que eu de-tes-to futebol. Mas por que você não assiste o Figueirinha aqui em casa?
- Olha o respeito, Cilene!... Porque é no “pay-per-view”, tem que pagar (NÃO É ISSO).
- Tudo bem, Beto, mas eu tô de olho, eu marco em cima. Vê se não pisa na bola. E não desliga o celular que eu fico uma arara.

Corte. Exterior. Roberto pega o carro na garagem, esfrega as mãos, naquele gesto característico de contentamento, e vai ao encontro dos amigos. Do rádio vem uma trilha sonora festiva, pagode. Ele cantarola, batucando no volante.

Meia hora depois Cilene liga.

- “Olha aqui, Beto, seu cafajeste! (AI, QUE ÓDIO!), acabei de ver na televisão, meio por acaso, que o teu Figueira de uma figa joga amanhã, a-ma-nhã...”

- “Amanhã? De novo?... (CARÁCOLA! E AGORA?) Deve, deve ser alguma partida atrasada, então. E ainda dizem que jogador de futebol tem vida mansa... Chuta, estepor! Desculpa, querida, quase deu um gol de novo.”

Celina desliga, na cara. Roberto, em close-up, fica preocupado. Mas está na festa, tem que dançar. O plano se abre.

Corte. A música diminui, cessa. Interior. Celina espera Roberto, está na sala vestida com uma camisa... do Avaí.

- Cilene, o que é isso?
- Isso, querido, sou eu, de azul e branco.
- Mas o que significa essa palhaçada?
- Significa que agora eu sou uma torcedora, adoro futebol, amo a Costeira, vou gritar da arquibancada feito uma louca. Meu querido, os tempos são outros. Chega de segunda divisão, segundo plano, segundas intenções. Me aguarda, Robertinho!

(Vixe!, vai ter parte 2)





Postado por Jaime Ambrósio às 11:28 | Marcadores: Carácola   Gavião   Aranha  

Todo os posts mais antigos Todos os posts mais recentes